segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

O Olho de Hórus - A flor da vida


Continuando a serie O Olho de Hórus 4
A Flor da vida
Este capitulo é brutal a nivel de conhecimentos...e é claro, insere-se na mesma explicação do Capitulo anterior

Parte 1
video

Parte 2
video

Parte 3
video

Parte 4
video

Parte 5
video 

Próximo Capitulo- O Olho de Hórus 5
Sqqara, o Complexo de cristal

Nuno

2 comentários:

Anónimo disse...

Olá!

Já vi a série quase toda e estou a gostar muito (apesar de achar um bocado repetitivo em certos episódios).

Tomei conhecimento de um outro documentário "arraçado" do "Olho de Horus", e tomo a liberdade de deixar a sugestão:

http://documentaryheaven.com/the-pyramid-code/

É uma abordagem talvez um pouco mais linear/pragmática (não são as palavras que queria usar mas a palavra certa não me aflui), mas não deixa de ser uma abordagem alternativa à egiptologia corrente.

(Queria partilhar: No 4º episódio desta série falam do ser humano como ser dotado de centenas de sentidos - centenas e não apenas 5 sentidos! Dizem que não utilizamos esses sentidos e por isso ficam atrofiados, tal como um músculo atrofia se não for exercitado. Posto isto, não deixa de ser intrigante que logo de pequeninos, ao entrar na escola, e logo nos primeiros anos (1.º ou 2.º ano da escola primária) sejamos contemplados com aulas acerca dos 5 sentidos. Temos 5 sentidos, o tacto, a visão, blábláblá... Para que temos de aprender isto? Qual a lógica e a utilidade "aprender" as funções dos 5 sentidos? Não sabemos já de nascença que os olhos servem para ver e os ouvidos para ouvir? Ou ainda há quem se engane? Não vá a malta começar a dizer que cheira com os ouvidos e que está surda dos olhos...)

Abraços!

Streetwarrior disse...

Anónimo, obrigado pelo seu tempo em comentar.

Sim, sem duvida que desde pequenos somos pré-programados para aceitar uma realidade que deve ser estritamente vista de um ponto inalteralvel, quanto a isso, concordo.
Já quase á questão dos 5 sentidos, não penso ser essa a realidade.
Quando vamos para uma primária, muuitas coisas (tal como o seu exemplo ) que nos parecem irrisórias de conhecimento são-no...porque uma criança com 6 anos, não junta ou exerce a lógica como nós ( adultos ).
Ela tende sempre a questionar tudo, logo a lógica é uma coisa muito incompreensivel para ela...a criança nem consegue perceber o que é a palavra lógica.
Eu tenho filhos com essa idade e pelas perguntas que me fazem, fico claramente esclarecido que coisas que para mim são obvias, mesmo sem me ensinarem, para ele não o são, logo tenho que ensina-lo.

Já com respeito aos multiplos sentidos, temos um exemplo muito concreto...a intuição.
Repare que os animais se movem por este sentido e os humanos tendem a rejeita-lo ou a passa-lo para o campo das superstições, o que é errado.
Pois muitas vezes chegamos á conclusão que afinal, aquele feeling nunca me enganou...eu é que me endava a enganar a mim próprio