quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Filosofando - Coragem é...



Boas.
No seguimento do concurso ganho pelo comentador Rodrigo Cruz, o mesmo na minha opinião, foi aquele que consegui resumir melhor numa só frase, aquilo que actualmente entendemos ser a Justiça.

Esta foi a frase que o Rodrigo deixou;

""  A justiça representa o esforço continuo de equilibrar os direitos e deveres individuais de encontro com a generalidade dos mesmos, para mim não há uma definição definitiva de justiça, pois o seu valor evolui a medida que o ser humano toma consciência de si próprio e do que o rodeia. ""

Sendo ele o vencedor do concurso, o prémio é a hipotese de o mesmo lançar o próximo tema para debate, ao qual o mesmo escolheu...

Coragem é...

Rodrigo, se quiseres participar e partilhar a tua definição de " Coragem " também o podes fazer livremente.

Assim sendo, venham de lá esses Lirismos.

Obrigado
Nuno

12 comentários:

Streetwarrior disse...

Coragem representa a nossa capacidade de enfrentar e superar os nossos próprios medos e frustrações, pois o medo do desconhecido é a unica coisa que nos impede de ser FELIZES.

Rodrigo Cruz disse...

Coragem é por de parte todas as consequências que possam advir de uma atitude(ou várias), no intuito de agir de encontro ao que achamos justo ou de acordo com os nossos princípios(sejam eles quais forem)...

Cisfranco disse...

Coragem é cada um reagir de acordo consigo próprio: sem fazer contas ou obedecer a taticismos de ocasião.
(É mais ou menos o que Rodrigo Cruz diz)

Streetwarrior disse...

Boas Cisfranco e Rodrigo.

Não estou a conseguir perceber, o paralelismo que ambos estabelecem entre Justo e coragem.
É que a meu ver, uma atitude de coragem pode não ter ou estar sequer relacionado com a justeza ou injustiça do acto em si.
Não será?

Nuno

Rodrigo Cruz disse...

Boas, para mim a relação entre a coragem e a justiça existe devido ao facto de que(pelo menos hoje em dia) uma pessoa tem de ter uma boa dose de coragem para fazer aquilo que acha mais justo ou que vai de acordo com os seus principio(digo isto porque acredito que a maior parte das pessoas tem bons princípios) pois a sociedades impõe-nos barreiras(psicológicas). Por exemplo, tu, streetwarrior expões certas informações que te podem prejudicar pelo menos na tua vida social( as pessoas ditas normais podem-te considerar maluquinho :) ) Mas dando um exemplo mais prático ou geral, uma pessoa que trabalhe numa empresa em que sabe que se passa algum tipo de injustiça: assédio a uma empregada/o, corrupção financeira, ou crimes de natureza ambiental, etc, tem de ter coragem para lidar com o assunto tendo consciência que pode ser prejudicado pelo menos profissionalmente.

Streetwarrior disse...

ok, eu sabia que ias dar um exemplo deste tipo.
Rodrigo, não estarás a fazer confusão entre o que é a definição de Coragem ( como definição própria de...) e um dos imensos exemplos onde a Coragem pode ser usada.
É que não é bem a mesma coisa entre a definição de SER e de PRATICAR.

Como exemplo;
Uma pessoa para se Suicidar, é necessária uma enorme dose de Coragem, no entanto, não tem absolutamente nada a ver com Justiça do acto do Suicídio.

Não será?

Rodrigo Cruz disse...

Bom dia, sim tens razão quando dizes que é diferente a definição de SER e de PRATICAR, mas eu não digo que a coragem esta exclusivamente ligada a justiça.
Acho que a diferença entre a minha(e do cisfranco) definição de coragem e a tua é que tu deste uma definição mais teórica e eu a puxar mais para o seu sentido prático...

Streetwarrior disse...

POis, mas o objectivo é a defenição filosófica do que é...não para o que serve .

Rodrigo Cruz disse...

Ok, mas mantenho a minha sentença, pois para mim coragem é: por de parte todas as consequências que possam advir de uma atitude(ou várias), no intuito de agir de encontro ao que achamos justo ou de acordo com os nossos princípios(sejam eles quais forem)... Abraço

Torku Paradji disse...

Coragem é o que sobrevém à sabedoria e que permite mudar o que deve ser mudado.

Cisfranco disse...

Streetwarrior

Olá boa tarde, só agora!

Concordo totalmente com o que diz: que há atitudes de coragem que não têm nada de justiça. Mas mantenho o que referi no m/ comentário inicial. Há,porém, um pressuposto do qual eu parto: que naturalmente as pessoas querem o que é justo. E o que é justo é o que está certo. E como se sabe se o que eu faço que duma forma ou doutra vai implicar com terceiros, é o que está certo? Regra simples: não faças a outros o que não gostarias que te fizessem... Até ao pormenor mais subtil. Dá para entender?

Carlos Mansão disse...

Street, v lá s curtes este:
http://carrapetacosmica.blogspot.pt/2012/07/freedom-fighter.html