terça-feira, 26 de outubro de 2010

Portugal- Uma experiencia piloto á deriva





No final dos anos cinquenta, discutia-se no meio diplomático estrangeiro em Lisboa, quantos anos Portugal ainda teria para aguentar o seu Ultramar. A terminologia usada era, obviamente, a de “colónias”, embora que Portugal, já muito antes, as tivesse transformado em Províncias Ultramarinas. As excepções eram os Distritos das Ilhas Adjacentes e o Estado da Índia Portuguesa. Devo mencionar que é precisamente este último, perdido em 1961, por anexação forçada por um estado vizinho recentemente criado, a única parcela do antigo Portugal que ainda mantém grande parte das leis lusas.
Liderados pelos Estados Unidos da América, que ofereceram a independência à sua colónia, as Filipinas, em 1946, começaram a Grã-Bretanha, a França e a Bélgica a descartar-se das suas responsabilidades, com as suas colónias espalhadas pelo mundo.
Nenhuma destas potências assumiu um papel com estes povos da mesma forma com que Portugal se identificou com as populações indígenas das diferentes parcelas que integravam o Mundo Português.
Esta é a grande diferença, que ainda hoje não é compreendida por muita gente!
Diplomatas houve que chegaram a apostar caixas de espumantes, na convicção de que meio ano de caos interno nestes territórios chegaria para Portugal se retirar destes!
Um factor de relevo foi a descoberta de petróleo em Cabinda. Já não era apenas a situação estratégica no Índico e Atlântico, com grande peso na rota do petróleo vindo do Médio Oriente, que era colocada nos pratos da balança dos interesses globalistas, mas agora também a hipótese de comprar petróleo, a preços baixos, a organizações de “libertação”, devidamente orquestradas, financiadas e endividadas.
Um desses diplomatas orgulhou-se, mais tarde, de ter sido o autor da “Libertação de África dos Portugueses”. O seu dossier chamou-se “THE DEMOCRATIZATION OF AFRICA“ e causou milhões de mortos!

O Portugal da segunda metade do século XX era grande, rico e acordava cobiça. Não havia ódio colonial contra os portugueses nestes territórios. Este chegou de fora, nos anos sessenta e setenta, por organizações internacionalistas, algumas delas religiosas.
O Mundo Português não se perdeu no campo da batalha militar! Estas guerras deram-se com forças indígenas locais e forças da metrópole, lutando lado a lado, integrados até uns nos outros, contra o inimigo comum, que era nitidamente de fora ou a soldo de gente de fora.
O Império Português desmoronou por excesso de dimensão, falta de orientação e de oposição à coordenação internacional de forças ocultas. Estas, desde há bastante tempo, colaboram na aniquilação das nações, famílias e religiões. Assim, mais facilmente, podem instalar o seu Governo Mundial. Pretendem uma drástica diminuição das populações, visto não precisarem de tantos escravos. Para isso, manejam a alta finança a seu bel-prazer, lançando guerras, fomes e epidemias.
A ingenuidade geral da lusa gente, que não consegue acreditar que haja tanto mal no mundo, e a total ausência do conhecimento sobre o que se está a passar secretamente por detrás das cortinas da política internacional oficial, fez de Portugal uma presa fácil.

As pontas de flecha defensoras de interesses globalistas, desde há muito entre nós instaladas, chegaram a oferecer a Pátria de Nuno Álvares Pereira e Afonso de Albuquerque, como local ideal da instalação de experiências piloto.

Internacionalmente, precisava-se de um povo pequeno, de cariz europeu, para servir de cobaia, para diferentes planos de actuação. Parecia ser mais fácil observar numa nação de pequena dimensão, como a população responde quando confrontada com determinadas situações.
Assim, foi a Cidade de Lisboa, a primeira a ser sugerida para uma experiência piloto, tipo-chip, para todos os serviços de transporte marítimos e terrestres. Quando um jornalista descobriu esta “promessa” e a mencionou, numa altura em que, oficialmente, nada se devia saber, sofreu as mais graves consequências profissionais. De membro destacado da redacção de um dos principais diários lisboetas, passou a moço arrumador de arquivos, até a saúde se acabar.
Não é estranho que tenha sido nos Açores que se tenha iniciado a experiência piloto da introdução do Cartão Único?
Não é menos interessante verificar-se que Portugal foi escolhido como a primeira nação europeia para a introdução de um chip nas matrículas, que, entretanto, já se transformou num complexo sistema de localização permanente de viaturas?
Portugal também foi o primeiro a registar as suas galinhas, quando se lançou a histeria da suposta Pandemia da Gripe das Aves.
Agora é novamente Portugal o primeiro país a “querer” introduzir uma multa para quem transmitir a chamada gripe-suína. Estranhamente, não se trata de uma indemnização da pessoa atingida, mas de um benefício estatal, por aplicação de uma coima. Ou seja, uma pessoa dá uma bofetada a outra e um terceiro beneficia disso.
Apenas os Estados Unidos da América nos pretendem ultrapassar nesta “caminhada de loucos”. Querem introduzir a vacinação compulsiva (com pleno conhecimento de que a vacina é muito mais perigosa do que a doença), com uma coima de mil dólares por dia, aplicável a quem não se deixar vacinar!

Vive-se uma paranóia artificialmente criada para este efeito!
Será que se repetirá o que aconteceu em Portugal, em 1919, quando milhões correram às vacinas para se salvar da Gripe-Espanhola, acabando por morrer da vacina?
A minha avó foi uma delas!
Morria imensa gente e o meu avô tudo fez para conseguir a vacina. Finalmente foi-lhe possível adquirir uma dose. Chegava apenas para uma pessoa. A família sentou-se à volta da mesa da cozinha. Pai, mãe e as duas filhas, a mais velha delas a minha mãe. Tiveram de decidir quem é que havia de tomar a vacina! Decidiram que a pessoa que mais falta fazia na família era a minha avó, porque as duas jovens precisavam muito dela. A minha avó faleceu poucos dias depois em consequência da vacina. Isto passou-se em Lisboa em 1919, e agora?
Já fomos enganados com o 25 de Abril!
Fomos novamente enganados, com a suposta entrada na CEE! Nunca Portugal “entrou” na CEE! A CEE é que entrou em Portugal e perdemos imenso do que tínhamos (agricultura, pesca, vinho, siderurgia, etc.), para que firmas estrangeiras ganhassem concursos na construção de estradas, que mais serviram para a importação de produtos estrangeiros do que para a exportação dos nossos.
Fomos intrujados quando se transformou a CEE em CE e, mais tarde, em UE sem nos terem perguntado ou explicado devidamente o que isso significava.
Fomos roubados quando nos tiraram o Escudo, nossa moeda ancestral, cujo valor ainda se baseava nas 866 toneladas de ouro de garantia, mantida para este efeito pelo antigo regime, e nos deram uns papelinhos incobráveis quando alguém lá fora assim o decidir!
Quando nos passaram por cima, sem nos dar ouvidos, com a proposta de um Tratado, vergonhosamente chamado de Lisboa, que mais não é do que a perda da soberania nacional, fomos forçados à submissão voluntária a um sistema de comissários, tipo soviético e a aceitar a reintrodução da pena de morte!
Será que agora nos vamos deixar vacinar contra uma epidemia oriunda de laboratório militar (onde esteve guardada, como arma secreta, desde 1920)?
É um facto científico que os efeitos secundários das vacinas propostas são de tal maneira horrendos, que a simples proposta da utilização da vacina devia ser incriminada!
Será que a experiência piloto chamada Portugal, não anda um tanto à deriva, ao ponto que se torna vital, para a sobrevivência da lusa gente, que alguém acorde e ponha termo a isso?
O Santo Condestável ou Afonso de Albuquerque encontrariam solução!
Quero crer que os seus genes ainda se encontram bem patentes entre nós!
Espero que a memória da morte da minha avó, por ter tomado uma vacina assassina sem minimamente o suspeitar, ao menos sirva de exemplo, para que a ingenuidade e paranóia geral não anule, de novo, parte deste povo.
Algures há um limite!
Tenho cinco filhos portugueses e quatro netos e não quero que a nação perca nenhum por imbecilidade e prepotência de pessoas inqualificáveis, que causam a desgraça, pensando agir bem! Aproveitam-se da boa impressão geral que o público ainda tem da profissão médica. Como ninguém os pára, tornam-se, conscientes disso ou não, genocídas.
Não tenho dúvidas em afirmar que, no século XX, morreram mais pessoas por injecções desnecessárias, ou “remédios” assassinos, do que por balas e bombas.
Pena é que este factor não seja tido em conta, por parecer absurdo!
Porém, quando a vida, não apenas a de alguns, mas de famílias, povos, nações inteiras até, está a ser posta em risco, é um dever cívico chamar à atenção para um perigo iminente.
Bastou Portugal ter sido cobaia para experiências globalistas de teorias, supostamente liberais e democráticas, que destruíram mais do que edificaram.
Não se pode consentir agora que, por efeitos secundários de uma vacinação insegura, se diminuam as capacidades mentais de boa parte da lusa gente, em nova experiência piloto!

Este artigo é da autoria de ; Rainer Daehnhardt  
www.grifo.com.pt 

Chip RFID


P.S- Portanto,após a leitura deste artigo da autoria de Rainer Daenhardt, é facilmente compreensível a intenção de futuramente se criar uma sociedade super-vigiada onde o chip ( Tecnologia RFID ) será implantado em todos os artigos  e a curto espaço em todos os indivíduos de forma a rastrear todos os seus movimentos, tal como os seus bens pessoais, alegadamente a troco de uma " Maior segurança " nesta interminável aldrabice da guerra ao terrorismo.
Atentem no entanto que a implementação deste Chip nos passes Sociais de Transporte, foi curiosamente 2 meses depois do 11 de Setembro, a 11 Novembro, data essa de viragem na forma como algumas medidas de segurança começaram a ser impostas baseadas no conceito de terrorismo para uma sociedade mais segura.
Actualmente, quase todos os nossos cartões, seja de saúde, sejam de postos de abastecimento seja de picagem de ponto no trabalho, estão munidos com esta tecnologia.


Nuno Guerreiro



18 comentários:

Anónimo disse...

A descolonização não foi acto de "libertação dos povos" coisa nenhuma.

Foram traidores a soldo de outras potencias que usaram essa falsa propaganda para desmantelar o nosso imperio.

Basta ver como estão as ex colonias actualmente.Pobreza,corrupção,analfabetização,violações,miseria,violencia gratuita,oligarquias sem qualquer pingo de estadismo.

Foi esta a libertação dos povos?
Os mais eruditas de lá admitem hoje mesmo,que no tempo colonial eram auto suficientes.Vejam lá,se na aquele tempo afirmam que estavam melhor que hoje,como estariam hoje se ainda sob o nosso dominio?A resposta é obvia....

Os senhores do bloco central são os grandes traidores nacionais.Que na altura certa terão que pagar pelos seus actos de traição.A historia não conseguirá ser para sempre falsificada.A verdade é como o azeite,acaba sempre por emergir.

O facto de querem acabar com Portugal deve se ao facto de Portugal ser dos Países mais antigos da Europa.Quase 900 anos.

Isto para os globalistas é altamente simbolico.

O pessoal insiste em culpar só os comunas,mas os liberais são bem mais perigosos e traidores.

O liberal não tem Pátria,apenas lhe intressa o dinheiro e o seu status quo.

Passa por cima de tudo para o conseguir.As pessoas são clientes ou escravos,nunca pessoas.

O conceito de nação e pátria é um estorvo para o liberal,o liberal quer que o mundo seja uma gigante corporação de negocio.Em que ele é o patrão,os povos seus escravos,e o dinheiro é o "vicio".

Quem controla os media são os liberais,são eles que nos enganam,deturpam,ocultam informação.

É o "meio liberal" das sociedades o grande cavalo de troia para destruir as nações.

não é só os chips,não é so as especulações financeiras,não é so a informação manipulada.
É todo um vasto conjunto de agentes que filmam e escutam opositores á margem das leis do estado,é todo um conjunto fortissimo de "famosos" adorados pelas novas gerações que fazem uso da sua forte capacidade de influencia dando cobertura aos liberais.Para as pessoas verem neles simbolos,modelos de vida.

Eles falam de liberdade mas esses filhos da puta não sabem o que isso é.Eles como gostam de andar no mundo da fama e só lhes falta ter um chip no cú,acham se no direito de IMPOR a toda a restante sociedade um mundo sem privacidade.

ESTA ESCUMALHA TODA ERA O QUE O KENNEDY FALAVA.

O ultimo grande estadista na terra do tio sam,que mesmo sabendo que isso lhe custaria a vida,não hesitou em bater o pé a essa corja.

Todos sabemos quem eles são aqui em Portugal.
Os nomes estão mais que batidos,rolam em qualquer lar,bairro,ou quartel militar.

A grande questão é apenas e só uma:

Ou nós...Ou eles...

Anónimo disse...

E todos estes probelemas e tensoes relegiosas entre o radicalismo islamico e o Patriota Europeu é devido a quê?

Ao globalismo.Que teve uma agenda propositada de fronteiras escancaradas para destruir a hegemonidade,tradição e conceito de Pátria e Nação.Tudo em nome do lucro,tudo em nome da destruição da velha europa e transforma la num "enorme shopping,um circo com grades"

Gerações de patetas materialistas e estupidas estão se a fabricar em massa.

Tudo isto obra dos cavalos de troia,vulgo liberais.
Lacaios do sionismo,o polvo que usa a maçonaria como seus tentaculos.

Eles são os responsaveis por tudo.São eles que terão que prestar contas a todos os patriotas europeus.

Só uma elevação europeia de uma irmandade de patriotas civis e militares podem salvar a Europa.

Os partidos politicos como representantes de corporações e de clientes partidárias jamais nos defenderão,muito pelo contrario.

Nada adianta combater o inimigo externo antes de se acabar com o inimigo interno.

Anónimo disse...

É por isso natural que qualquer "europeu de gema" não pode de deixar de nutrir alguma admiração pelos russos mesmo com todos os defeitos que possam ter.

É que na Russia mandam os russos,ninguem manda neles,não são lacaios de ninguem e batem o pé a todos.

Os Países da UE,ao contrário, actualmente jamais se podem gabar de dizer que quem manda na sua casa são eles.
E isto é muito significativo.

Os russos não podem ser vistos como inimigos da Europa ocidental,pois os mesmos são senão o ultimo baluarte do verdadeiro significado e mistica do Europeu.

O Orgulho da sua Pátria mãe e a recusa de serem lacaios de quem quer que seja.
O resto é letra...

Anónimo disse...

E uma curiosidade.

Qual a profissão da maioria dos politicos corruptos e traidores de Portugal?

Qual a maior parte da profissão dos maçons?

Qual a maior parte da profissão de "opinions makers" que malham diariamente atraves dos jornais,media,radio sobre a PJ,Juízes e Militares.

São todos ADVOGADOS.

Porque só a PJ,Os Juizes e Militares tem poder para fode los.
e portanto são alvo abatar.

E não esqueçer que a advocacia oferece toda a arte da retorica para enganar as massas.

É nos escritorios de advogados mais famosos da praça que juntam se para analisar as falhas legislativas para fazerem o saque,identificam mudanças a fazer depois na assembleia.

Salvo raras exepções(5 a 10%) os escritorios de advogados são o "polvo" maçonico.

depois de alterarem as leis na assembleia,tiram poderes aos contra poderes,legislam para roubarem,legislam para vigiar e para silenciar opositores,legislam para controlar,legislam para se safar de eventuais crimes a ser descobertos.

E depois de toda esse esquema multitentacular,ainda têm a lavagem de dinheiro atraves do requerimento de "pareceres juridicos" ás firmas que fazem parte da mafia maçonica.

A 750 mil euros,ouviram bem.

O polvo divide se em 3 grandes partes:

Lojas maçonicas.
Escritorios de advogados.
Partidos politicos.

Streetwarrior disse...

Oh anónimo
Mas é nessecário encher a caixa de comentarios para dizer sempre a mesma coisa.
Não consegue fazer 1 só comentario.
Se puxar os Posts atrás, em cada artigo ,enche a caixa de comentários sempre com este mesmo dialogo...já percebi.
Já lhe disse que não é nessecário em cada artigo que faço,largar 5 a 8 comentarios exactamente ou quase iguais ao do artigo anterior.
Não percebe que começa a tornar-se repetitivo?
Ja chega.

Anónimo disse...

Dá probelema e não aceita,por isso é que divido assim.

Não há probelema,eu como um "kit kat" gigante durante um tempo e faço uma pausa para não incomodar.

P.S. cuidado com a ultima caixa de comentario no outro post.Tens 33 comentarios.Não quero que me acuses de lançar aqui magia maçonica ahah.

Anónimo disse...

Para terminar,lembras te da teoria dos 100 macacos?

Começa a olhar em redor e mais atentamente e verás que o que se escreve aqui tem muito mais leitores do que possas imaginar.

Dá um tempo a essas observações e guarda para ti depois isso.

Abraço

Anónimo disse...

http://citadino.blogspot.com/2010/10/cinco-formas-praticamente-indolores-de.html

Streetwarrior disse...

"" .Não quero que me acuses de lançar aqui magia maçonica ahah. ""

Tás a ver, agora tiveste piada LOL

Nâo interessa se eu ou tu acreditemos ou não, eles acreditam.
Sabendo que eles não são nenhuns parvos, alguma coisa eles hão-de saber, não será.

Nuno

Anónimo disse...

http://www.provafinal.net/?p=1115

Se tiveres tempo podias pesquisar sobre isto.
A ser verdade,a bomba vai estourar e vai sobrar para muitos.

Os do "costume" sempre metidos.Os judeus.

Anónimo disse...

http://adamastor-arquivo.blogspot.com/2010/10/sera-portugal-uma-democracia.html

http://novoadamastor.blogspot.com/2010/10/la-crise-toujours-la-crise.html

Uma lufada de ar fresco.

É so olhar para a "ementa" actual e alguem intelectual honesto,imparcial,e não corrupto encontra alguem que o Brandão Ferreira para assumir presidencialismo?

Claro que não.

Anónimo disse...

"encontra alguem melhor que o Brandão Ferreira para assumir presidencialismo?

Claro que não."

Está corrigido,faltava o melhor.

fatima disse...

Boas!

Bonito isto:
http://english.pravda.ru/world/europe/02-10-2010/115189-portugal_eu-0/

e não contentes e felizes, ainda temos mais esta! É obra!!!

http://dn.sapo.pt/Inicio/interior.aspx?content_id=1697224

Anónimo disse...

Fatima
obrigado por postar o link, interessante
V.d.n

Streetwarrior disse...

Fátima, obrigado pelo Link.
Até lá fora nos conheçem melhor do que que a maioria do Povo Pt
Nuno

fatima disse...

Ora essa, não têm do quê.
A nossa obrigação é, agora mais de nunca!, denunciar estas ratazanas de esgoto que nunca na vida trabalharam e se acham na legitimidade de nos sugarem até a alma!!!

Vejam aqui também a revolta dos nossos vizinhos:

http://www.elmundo.es/elmundo/2010/10/28/suvivienda/1288264631.html

O Grande Continente Europeu à mecê de ratazanas e assassinos, miseráveis!!!

Karocha disse...

Street

O Banco de Portugal, só passou a existir, depois do 25A. até lá era assim

http://pt.wikipedia.org/wiki/Banco_de_Portugal

Karocha disse...

http://infamias-karocha.blogspot.com/